Massagem de aromaterapia

Produtos para uma massagem de aromaterapia

Uma prática milenar, a aromaterapia foi agora aplicada às massagens spa de forma a produzir um tratamento único e perfumado que, de forma natural, promove o equilíbrio entre corpo, mente e espírito. Afinal, trata-se da junção de dois importantes sentidos – o toque e o olfato. O resultado não podia ser mais aliciante.

O que é a aromaterapia?

A aromaterapia é uma terapêutica natural e alternativa que utiliza a fragrância dos óleos essenciais para restaurar o equilíbrio interno do organismo, mas não só. Dependendo do óleo essencial escolhido, é possível tratar uma variedade de sintomas físicos, psíquicos e emocionais. As narinas estão diretamente ligadas a uma zona do cérebro que é o sistema límbico – o centro emocional do cérebro que controla as emoções e influencia o sistema nervoso e as hormonas. Através da inspiração de óleos essenciais, regista-se uma estimulação das células olfativas que, por sua vez, despertam o sistema límbico, enviando-lhe mensagens que podem afetar o ritmo cardíaco, a tensão arterial, a circulação sanguínea, o sistema imunitário, a respiração, a digestão, a memória e os níveis de stress, entre outros.

O poder dos óleos essenciais

Os óleos essenciais utilizados na aromaterapia são extraídos de plantas, flores, raízes, folhas, sementes, ervas, madeiras e resinas, sendo que cada um tem as suas próprias propriedades terapêuticas. Serenos ou revigorantes, escolhem-se os óleos essenciais de acordo com o fim pretendido. Alguns exemplos incluem os óleos essenciais tranquilizantes (camomila, lavanda, gerânio, cedro, cravinho, gengibre, jasmim, sândalo…), os óleos essenciais energizantes (rosa, laranjeira, salva, ylang ylang, alecrim, basílico, bergamota, coentro, eucalipto, hortelã-pimenta, tomilho…), os óleos essenciais desintoxicantes (alecrim, eucalipto, pinheiro…). Para além da sua inspiração pelas vias respiratórias, os óleos essenciais também podem ser absorvidos pela pele, tendo características anti-inflamatórias, ansiolíticas, antioxidantes, antibacterianas, antivirais e antifúngicas.

Massagem perfumada

Juntar a aromaterapia a uma massagem tradicional é criar um tratamento spa único que, para além de alterar e melhorar estados de espírito, pode contribuir para o alívio de vários tipos de dores e mal-estares. A escolha acertada dos óleos essenciais é uma vertente importante da massagem de aromaterapia, contribuindo para o seu sucesso – o terapeuta pode escolher até cinco óleos essenciais distintos, fazendo com eles a mistura aromática que irá acompanhar toda a massagem. Existem duas formas de incorporar a aromaterapia numa massagem: através da difusão no ar, ou seja, enquanto desfruta da massagem os óleos essenciais são queimados como incenso ou colocados em recipientes ao ar livre, sendo captados pelo sentido olfativo e direcionados para o sistema límbico; ou através da própria massagem, sendo que os óleos essenciais são misturados com uma loção, creme ou óleo de massagem e aplicado diretamente no corpo – para além de serem inalados, os óleos essenciais são absorvidos pela pele, que possibilita a sua entrada no sistema circulatório que, por sua vez, o transporta para os órgãos e restantes sistemas do organismo.

Principais benefícios

Os benefícios de uma massagem de aromaterapia prendem-se com aquilo que se sente e quais os efeitos pretendidos, daí a importância da escolha dos óleos essenciais adequados. Porém, a massagem de aromaterapia é amplamente utilizada para tratamentos de relaxamento ou da restauração dos níveis de energia, mas também para tratar insónias, dores de cabeça/enxaqueca, elevados níveis de stress/ansiedade, dores de costas, dores musculares, perturbações digestivas e a tensão pré-menstrual.

Precauções e contraindicações

As massagens de aromaterapia não devem ser realizadas com o estômago cheio, nem diretamente após a depilação ou sobre uma pele que apresente feridas, queimaduras, nódoas negras ou erupção cutânea. As mulheres grávidas devem evitar as massagens de aromaterapia, assim como as pessoas com doenças crónicas e quem sofre de problemas de pulmões (asma, alergias respiratórias ou doença pulmonar crónica).

A sua votação: 

Artigos relacionados