Tudo sobre bambuterapia: o bem-estar do bambu

Da próxima vez que estiver entretido a fazer palavras cruzadas e se deparar com a pista “material de origem vegetal com inúmeras aplicações”, tenha a palavra “bambu” em consideração. A mesma planta da qual o panda se alimenta e que é usada no fabrico de móveis e até na produção de vestuário, é agora a grande protagonista de um novo e irresistível tratamento spa: a bambuterapia. 

História da bambuterapia

A técnica de massagem com bambu já tem nome próprio – bambuterapia – e no seu batismo está o fisioterapeuta francês Gil Amsallem. Pelo menos no tratamento que está mais divulgado, pois existem outros métodos de massagem com canas de bambu associados a outros criadores, caso do “Bamboo Fusion Massage”e do“Tian Di Bamboo Massage”.

O método de Gil Amsallem é assim reconhecido desde 2003. Apesar do uso do bambu em terapias alternativas já ser comum na China, a inspiração para este fisioterapeuta veio de outra experiência. Foi ao observar a massa do pão a ser alisada com um rolo da massa que se deu o momento “eureka”. Para além do formato equiparável, a analogia entre o rolo da massa e a cana de bambu está em que ambos os instrumentos de trabalho funcionam como uma extensão das mãos. Assim, no contexto spa, o bambu funciona como se fosse um prolongamento das mãos do massagista.

De forma a serem preparados para a sua utilização em contexto spa, os bambus são uniformizados e envernizados, para garantir que não existem nem farpas nem irregularidades nas canas.

Massagem com bambu: o que é?

Se à primeira reação a ideia até pode parecer mais um capricho ou moda de última geração, uma pesquisa mais aprofundada revela que isso não é verdade. Ao longo dos últimos tempos, a massagem com recurso a canas de bambu tem vindo a marcar a sua presença nos tratamentos spa e até alternativos, um pouco por todo o mundo.

A bambuterapia é considerada uma terapia natural alternativa e condensa várias técnicas de massagem. Numa mesma sessão são aplicadas técnicas de massagem que visam vários objetivos, nomeadamente a drenagem linfática, a modelagem e o relaxamento.

O bambu adquire aqui um papel fundamental e não podia ser substituído por outro objeto semelhante na sua forma, uma vez que possui algo que um objeto inorgânico não poderia reproduzir: a energia da natureza. Este é talvez o segredo do sucesso da bambuterapia. Para além de ser um material adaptável aos contornos do corpo, também transmite a energia da natureza que se acredita ser parte revitalizante do tratamento. Para os chineses, por exemplo, o bambu simboliza leveza, força, flexibilidade e beleza – fatores que também caracterizam a massagem com bambus.

Como funciona?

A massagem com bambus é feita em todo o corpo, incluindo os pés, as mãos e o rosto. Isto é possível porque as canas de bambu variam nas suas dimensões, existindo as mais largas, que são mais direcionadas para o relaxamento; e outras mais pequenas e estreitas, ideais para exercer pressão localizada e também adaptáveis a zonas mais específicas. Para facilitar a ação do bambu, também se recorre à aplicação prévia de óleo de massagem no corpo.

O fundamento deste tratamento é que o bambu permite exercer pressão em pontos chaves do organismo de uma maneira mais eficaz do que a pressão exercida pelas mãos (o que é também uma vantagem para o massagista). A pressão exercida vai ter uma influência na dinâmica dos fluidos corporais, facilitando a drenagem e trazendo inúmeros benefícios, tais como o alívio da tensão muscular e o relaxamento, a ativação da circulação sanguínea, a revitalização da pele, combate à celulite e a modelagem da silhueta.

Cada sessão dura em média 60 a 90 minutos e pode ser aplicada enquanto tratamento isolado, ou ser combinado com outros métodos terapêuticos, como a aromoterapia, o shiatsu e a reflexologia, entre outras. 

Contraindicações

Quanto a contraindicações, mantêm-se as que existem para as massagens em geral. É contraindicado para híper e hipotensos, diabéticos, doentes oncológicos, entre outras condições médicas. É sempre importante certificar-se junto do seu médico que não existe nenhuma contraindicação para tal. E por fim, ultrapassadas estas questões, nada mais o impede de entrar neste maravilhoso mundo dos tratamentos spa e de experimentar, na sua própria pele, o que o bambu pode fazer pelo seu bem-estar. 

A sua votação: 

Artigos relacionados